quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

"Todo mundo espera alguma coisa..."

...de um ano novo.

Ahh já li vários posts sobre o que as pessoas esperam de 2015. Fiquei me perguntando: e então Pri, o que você espera desse ano que se inicia daqui a algumas horas?
Primeiro pensei que espero o que vier, apenas peço que o Senhor me dê forças e sabedoria pra enfrentar o que quer que Ele esteja preparando pra mim.
Depois pensei que espero muito e muito que os meus planos coincidam com os Dele. Pq só assim os meus planos se concretizarão.
E então pensei nos meus planos. Eu planejo um 2015 agitado. Basicamente cheio de estudos. Muito estudo eu diria.
Ahh e muito trabalho também, pq isso ñ pode faltar rsrsrs.
Em 2015 quero sair dessa zona de conforto na qual me instalei esse ano. Quero ir atrás das coisas que deixei de lado em 2014. Pq 2014 foi o ano do comodismo. Estudei firme até fevereiro quando apresentei meu TCC. Depois pronto, não estudei nada. Minha palavra de ordem para 2014 era concentração. Sinto que falhei miseravelmente nisso. Não me concentrei em nada, não foquei em nada, apenas deixei o ano passar.
Vivi 2014 basicamente de casa pro trabalho e do trabalho pra casa. Simples assim, sem grandes coisas, sem muita badalação. Um ano parado como disse um dia desses. É assim que eu defino 2014: parado.
Claro que não 100% mas, esse ano foi chatinho, com escolhas que se pudesse voltar atrás teria feito diferente, com muitas lágrimas derramadas no travesseiro, e com a certeza de que dei muita importância para as pessoas erradas, que valorizo (valorizava) demais amizades que lá no fundo não são (eram) recíprocas e percebi que não sou tão importante para pessoas que são tão importantes na minha vida.
Buut.. como todos estão dizendo aí vem 365 páginas em branco para serem escritas. E em 2015, cabô essa história de ser a boazinha que da importância pra quem não ta nem aí pra mim. Em 2015, bora lá d. Pri sair desse "comodismo" e se aventurar nesse mundão de meu Deus, bora lá aproveitar a vida, pq nunca se sabe quando ela pode acabar, bora lá correr atrás desses objetivos que você tanto quer alcançar, e bora lá fazer essa coisa que você tanto quis esse ano, mas desleixada que estava não conseguiu fazer, se aproximar mais de Deus.

E que 2015 venha com paz e saúde, pq o resto a gente vai atrás :)



sábado, 20 de dezembro de 2014

Os anjos nossos de cada dia

É manhãzinha, o dia está lindo. Céu azuladinho, pouca nuvem, sol agradável.
Um dia daqueles de sensação de felicidade, tudo está saindo como o planejado.
Até o momento em que algo no universo decide conspirar contra e vc quase pirar. Pirar de raiva, da falta de consideração e de sensibilidade de alguns pra com o outro.
Então Deus, para provar que apesar de tudo o dia pode continuar lindo, te mostra que ele colocou anjos nas sua vida. Anjos dispostos a te ajudar e te socorrer em qualquer situação.
Respira fundo e agradece, pq no final tudo tende a dar certo.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

:x

" - Morreu de que?
   - Sufocou com as palavras que nunca disse."


E assim um dia morre. Ou se rebela, toca o foda-se e solta todas as palavras presas que fazem a garganta doer e os olhos lacrimejarem.

domingo, 14 de dezembro de 2014

"Essas malditas lembranças, que vem me atormentar"

São duas da madrugada, a insônia atacou e a fome apertou. A preguiça vem junto, fica com fome mas não levanta pra comer algo. Rola na cama, tenta voltar a dormir. Ouve a música trazida pelo vento de algum lugar onde acontece uma festa. Rola na cama mais um pouco e pronto, lá vem elas. Aquelas lembranças de sempre. A saudade aperta... Mas pqp isso lá é hora de lembrar dessas coisas? Cabô, passou, fim. É martírio ficar lembrando de coisas que talvez não tenha dado certo por sua culpa... Agora é "bola pra frente", como diz a frase... Uma pena que a lembrança não saiba fazer isso. São duas horas da madrugada e a lembrança vem atormentar :/

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Série dicionário

Ci·ú·me 
substantivo masculino
1. Receio ou despeito de certos .afetos alheios não serem exclusivamente para    nós



Eu juro, juradinho, de pés juntos que não é por querer e que não gosto de ser assim.
Eu não sinto ciúmes pq quero, acho que ninguém sente ciúmes pq quer, né?
Eu tô aqui de boa vivendo a minha vidinha, quando menos espero esse bichinho chato já me mordeu e cá estou toda ciumenta. Mas, fico quietinha afinal né, ninguém é obrigado a aturar uma louca ciumenta. 
E eu odeio todas as vezes que sinto ciúmes e prometo que não vou mais sentir.. Buuuut, não da pra evitar :/

"Dezembro quando chega com seus ares de verão"


De·zem·bro


substantivo masculino

Décimo segundo e último mês do ano civil.


E então que chegou o mês mais foda do ano. O meu mês preferido.
Dezembro é um mês de términos e começos. Um ano que chega ao fim, uma idade nova que se inicia. Aquele constante recomeço. Dezembro sempre me alegra, me anima, me deixa cheia de planos e esperanças. 
E no meio disso tudo tem o Natal, e eu amoooo o Natal. As luzes, as bolas, as cores, as árvores, a reunião familiar (cheia de risos e encontros), tudooo.

E que dezembro passe devagarinho, pq eu sempre espero muito por ele, e que seja calmo e tranquilo com todo mundo.



terça-feira, 18 de novembro de 2014

Da série músicas que me deixam triste, não me pergunte o pq.


Título: Simples como a vida
Álbum: Aleluia




"Aqui da janela de casa eu vejo rostos felizes,
aqui da janela de casa eu vejo e ouço o que eu digo.
Eu tomo conta da tua vida, do teu sono e caminho.
Aqui na casa onde eu encontro abrigo"


P.S.: Queria ter colocado ESSE vídeo, mas o Blogger não deixou :/



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Preguiça Oo'

Faltam exatos 44 dias pra acabar 2014.  Pouco menos de 1 mês e meio.
E eu li apenas 4 livros esse ano. Oo'
Quase nada.
2014 foi o ano da "preguiça literária". Triste, muito triste :/

Que 2015 traga toda a minha disposição para ler que 2014 me levou. Por favor!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Meme

Vi esse meme nesse blog aqui, achei legal e trouxe pra cá. 

Meme do tempo e do agora

Eu sou… ansiosa. 
Eu quero ser… mais tranquila. 
Na minha casa…  fico de pijama o máximo de tempo possível. 
Eu encano com… o que os outros vão pensar. 
E acredito em… Deus. 
Tenho medo de… não ter muito tempo. 
Acho graça em… coisas bobas. 
Choro com…  algumas músicas alegres.
Não vivo sem… celular. 
Tenho mania de… me apegar fácil. 
Meus três melhores amigos são... três melhores amigas. 
Eu tenho como heróis… pessoas que me inspiram. 
Meu sex symbol… tem o sorriso mais lindo do mundo. 
O amor é… simples e complicado ao mesmo tempo. 
Meu livro de cabeceira é… o que eu esteja lendo no momento. 
Meu vinil preferido é… não tenho.
Meu sapato favorito é… minha havaianas. 
No meu armário não falta… creme de cabelo. 
Minha balada preferida… qualquer uma em que eu esteja com amigos. 
Minha luta é… acordar cedo. 
Meu maior fora foi… ter desistido de algumas coisas. 
Minha bola dentro… fazer amizade com pessoas que valem a pena. 
As pessoas acham que… eu sou metida. 
Mas eu juro… que é só timidez. 
O que eu mais ouço… "você parece ser mais nova." 
Eu me sinto livre… quando viajo. 
Rezo por/para… que eu e todos os meus tenhamos saúde para correr atrás dos nossos objetivos.  
Meu ponto fraco… meu coração mole. 
Meu grande charme… não se aplica. 
No chuveiro, eu canto… bem alto. 
De madrugada, eu… durmo. 
Meu meio de transporte é… carro/ônibus. 
Eu tenho ilusão de… ser uma grande bibliotecária.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014


"Eu ando pelo mundo prestando atenção em cores que eu não sei o nome. Cores de Almodóvar, cores de Frida Kahlo, cores! Passeio pelo escuro, eu presto muita atenção no que meu irmão ouve, e como uma segunda pele, um calo, uma casca, uma cápsula protetora. Ai, Eu quero chegar antes pra sinalizar o estar de cada coisa, filtrar seus graus. Eu ando pelo mundo divertindo gente, chorando ao telefone e vendo doer a fome nos meninos que têm fome. Pela janela do quarto, pela janela do carro, pela tela, pela janela. Quem é ela? Quem é ela? Eu vejo tudo enquadrado, remoto controle. Eu ando pelo mundo e os automóveis correm para quê? As crianças correm para onde? Transito entre dois lados de um lado eu gosto de opostos, exponho o meu modo, me mostro, eu canto para quem? Eu ando pelo mundo. E meus amigos, cadê? Minha alegria, meu cansaço. Meu amor, cadê você? Eu acordei, não tem ninguém ao lado."
Esquadros - Adriana Calcanhoto

sábado, 8 de novembro de 2014

Oito. Ocho. Eight. Acht. Otto... 8

*


Se me perguntam qual o meu número preferido, a resposta é imediata: 8.
Desde que me lembre, oito é o meu número favorito. Talvez por ser a data em que nasci, ou por ser o número que mais se repete na data do meu nascimento (3 vezes), ou ainda por ser um infinito em pé. Oito é a data em que coisas lindas e legais nascem/começam. tsc tsc tsc.
Eu nasci em um dia 8 há (quase) 26 anos. Esse bloguinho aqui começou num dia 8, há exatos 3 anos. Eu nasci num dia agitado e cheio de sol. Ele começou numa noite silenciosa e insone. Ele fala por mim, tudo o que tem escrito aqui sou eu. Todas as felicidades, todas as queixas, todas as reclamações, absolutamente tudo são coisas que eu acho, que eu me identifico, que eu penso.
Há exatos 3 anos eu resolvi abrir um blog só pra escrever as minhas "bobices", sem grandes pretensões sabe? Escrever por escrever e pronto. Mas, o tempo passou (ele sempre passa né?), e me mostrou que "Opa! Peraê mocinha, não é bem assim não. Pensa o que? Que vai chegar aqui escrever suas bobices e sair imune as surpresas da blogosfera? Nada disso senhorita". E assim foi, nesses três anos esse bloguinho me trouxe algumas surpresas. Conheci vários blogs legais, li textos que me emocionaram e me fizeram repensar algumas coisas, conheci algumas pessoas e fiz uma amiga (a melhor das surpresas ^^). Criar o blog foi uma experiência totalmente positiva.
Nesses últimos 3 anos muitas coisas mudaram da mesma forma que algumas outras continuaram exatamente iguais. Acho que eu continuo quase a mesma desse post aqui, minha vida que mudou bastante. Continuo ciumenta, tímida, indecisa, teimosa, dramática, sensível, chocólatra, amando cinema, teatro, ler, escrever, sair com as amigas, ouvir música, ficar sozinha em casa, conversar e cozinhar. O que mudou? Bom, terminei a faculdade, conseguir um emprego, voltei para a minha cidade, passei a ver algumas coisas de outra forma, mudei de opinião sobre algumas coisas, conheci novos lugares, me encantei por alguns lugares, me apaixonei,  desapaixone, quebrei a cara, me recuperei, quebrei a cara novamente, voltei a me recuperar e me endureci, conheci pessoas novas, fiz novas amizades, ganhei um sobrinho.. enfim, minha vida não é mais a mesma daquele 8 de novembro de 2011. E dessa mudança toda, algumas coisas foram contadas aqui no blog, outras ocorreram por causa do blog.

E que venham muitos outros 8, e que coisas boas continuem nascendo/começando em dias oito.


Fonte da imagem: Instagram

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

"Não acomodar com o que incomoda"


*

Ta chateando, ta incomodando, ta doendo, ta fazendo infeliz? Então muda, tira, exclui, elimina. Continuar "amarrado" a coisas, pesos, atitudes e pessoas que não faz bem, ninguém merece né? Mas como muitas vezes desapegar, deixar de lado, tirar da vida, e principalmente mudar não é algo fácil, simples e por vezes nada indolor é preciso ter muuito dessas três coisinhas: foco, força e fé. Por que sem isso não é possível seguir em frente. 



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Silêncio!

Eu trabalho em uma biblioteca mas, apesar de todas as placas lembrando que aqui é um lugar de silêncio isso quase nunca ocorre. Essa biblioteca é barulhenta todo o tempo.  Mas hoje está sendo diferente. Hoje, se não fosse o barulho do teclado e de algumas conversas esporádicas trazidas lá de fora pelo vento, estaria um silêncio quase celestial. E eu estou adorando.
Nesses momentos de quietude, assim como em tantos outros, eu tenho mais certeza ainda de que escolhi a profissão certa. Eu gosto dessa quietude, desse silêncio, de só "ouvir" os meus pensamentos enquanto classifico, catalogo, preencho planilhas e etc...
Fica aquela sensação de que estou no lugar certo, e eu estou :)


terça-feira, 14 de outubro de 2014

Difícil, muito difícil --'

Respira fundo e diz: quer saber, não vou mais reclamar da vida afinal, as coisas não estão tão mal assim, poderia ser pior. Mas tem horas que pqp não da pra segurar e lá vai o poço de reclamação. Mas por que Senhor tudo é tão difícil? Por que as coisas não podem ser super fáceis as vezes, só pra variar sabe?
Vontade de jogar tudo por alto, mas aí lembro que vou ter que catar tudo depois :/

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Solta o som DJ

Eu acho muito engraçado as "sensações" que a música me causa.

Hoje, por exemplo, acordei com saudade. Cheguei no trabalho, comecei a ouvir uma música e pronto a saudade aumentou.. Fiquei ouvindo no repeat, pra ver se a saudade apertava até não doer mais. Não ajudou, mas valeu a tentativa, rsrsr.
A letra da música não tem nada a ver com o motivo da saudade, mas sei lá comecei a ouvi-la e a saudade apertou. Me fez lembrar dos detalhes. Me fez querer voltar no tempo. Me fez querer ter aproveitado mais, mesmo sabendo que aproveitei tudo que podia. Me deixou com lagriminhas nos olhos (apesar de ter quase certeza que o motivo das lágrimas é a TPM que está fodástica esse mês, tô chorando até com programas na TV --'). Mas apesar de tudo me deixou feliz por ter motivos pra sentir saudade.

"At least I have her love, the city she loves me"

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Série dicionário

    Me·tó·di·co 
adjectivo
1. Que tem método.
2. Circunspectocomedido.
3. Ordenado.

Então que eu sou uma pessoa metódica. Gosto de seguir sequencias e etapas, gosto das coisas organizadas e ordenadas.
Então que as pessoas me acham uma chata :/
Sinto muito pessoas eu não sei ser diferente. Mas se serve de consolo eu sou uma chata legal :D

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Alice Maria

Eu já falei sobre ela em 2011, quando ela ainda era um toquinho de 1 ano.
Hoje a minha princesinha tem 4 anos e continua me enchendo de alegrias.
Pode ser coisa de madrinha babona (provavelmente é, rsrs) mas, Alice é a criança mais fofa, adorável, esperta, inteligente e linda que eu conheço.
Faz quase 2 anos que ela se mudou para o Rio e nesse período nos vimos poucas vezes.
A saudade é enoorme mas a tecnologia tem ajudado um pouco. Alice aprendeu a enviar áudios pelo WhatsApp e quando menos espero tem mensagens dela perguntando quando irei vê-la, dizendo que sabe fazer casinhas de plástico, que está aprendendo a ler ou dizendo que me ama. E eu fico aqui derretida, querendo apertar um monte e encher de beijos e fazer muito dengo.
Eu disse em 2011 e repito: Alice é o maior presente que a vida me deu. <3


"Mas o seu sorriso vale mais que um diamante."

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Coragem

Dia desses me disseram (as pessoas tem me dito muitas coisas esses dias) que a gente tem 3 segundos de coragem antes de o medo (ou a vergonha) tomar conta.
Como por exemplo, sabe aquela mensagem que você tem vergonha de enviar? Então, digita rápido fecha os olhos envia e depois apaga. Se você ficar pensando demais não vai enviar.

Tô tentando transformar os 3 segundos em 30. Depois em 1 minuto e assim por diante. Quem sabe um dia a coragem impera.


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Sobre Setembro

Que venha calminho e levinho, porque agosto foi pesado, carregado e cinza demais.
E que traga boas notícias, por favor!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Série dicionário

ím·pe·to 


substantivo masculino
1. Movimento impulsivoviolento e repentino.
2. Arrebatamento.
3. Abaloagitaçãoprecipitação.

Ou apagar, por impulso, números da agenda achando 
que não mais precisará deles. Porém, algum tempo depois, 
precisar e não ter.



quarta-feira, 9 de julho de 2014


Desde junho, quando começou a Copa do mundo no Brasil, tenho visto a "torcida fervorosa" dos moradores da minha cidade. Todos os dias, enquanto esperava o transporte para ir ao trabalho, era muito comum ver a manifestação de tais torcedores. Parece que todas as roupas eram confeccionadas nas cores das bandeira brasileira. Todos os carros exibiam suas bandeirinhas, que felizes balançavam ao vento. 

Hoje porém a visão foi diferente, não visualizei uma pessoa sequer trajando as "cores do Brasil" e os carros "envergonhados" recolheram as suas bandeirinhas. 
Fiquei me perguntando: ué, deixaram todos de ser brasileiros? Ou ser brasileiro é apenas apoiar na vitória?
Vamos parar né pessoal, é preciso saber perder. Nada de queimar as camisas e muito menos as bandeiras. Até por que o Brasil não é só a seleção.

sábado, 5 de julho de 2014

E talvez o seu problema fosse esse, se doar demais em alguns relacionamentos e de menos em outros. Não sabendo distinguir em qual deveria ser o mais e em qual o menos. E nessa de não saber ia se doando pra quem não merecia e se afastando de quem deveria preservar.


22:03 ouvindo LH, com um pouco de vinho na mente e pensando demais.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Anotado na agenda

"Não tratar como prioridade quem te trata como segunda opção."
Li em algum lugar que não me recordo agora.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Tentar, tentar, tentar, 
achar que ta fazendo tudo errado e 
perceber o riso de deboche da vida. 
Bem isso. :/

sábado, 7 de junho de 2014

"São sinais de um novo dia, mas você diz ser normal. Não deixe que na sua vida o dia seja sempre igual."

“Fica só pra esperar o sol
Chega só pra esperar o sol
Fica do meu lado até o sol chegar.”


6:50 da manhã. "Thu thuru thu, thuru thu..." o despertador avisa que é hora de levantar. Vira pro lado, pega o celular ativa o modo soneca. 5 minutos depois o despertador toca de novo como se falasse: hora de levantar, mocinha. Pega o telefone reativa o modo soneca, volta a dormir. 7:00 da manhã, o despertador grita no ouvido "ACOORDAA". Hora de levantar. A rádio mental canta Vanessa da Mata para o sono: "é só isso, não tem mais jeito, acabou...". Levanta da cama. O sono a acompanha e a disposição continua lá deitadinha, enrolada no cobertor quentinho. Se arrastando faz tudo no automático: banho, vestir a roupa, ajeitar o cabelo, comer e sair. Ahhh sair, quem diria que o dia estaria assim? Aquele despertador deveria ter a função "avisar sobre o nível de beleza do dia". Teria sido bem mais fácil levantar se soubesse como o dia a esperava lá fora, o dia vestiu o seu melhor sorriso. Olha para o céu tãão azul e sem nuvens. Olha para o sol, aquecendo sem causar incômodo. Sim, o dia está lindo. Lindo e gostoso. Sorrindo agradece a Deus pelo dia que se inicia no auge da sua beleza. Sim, levantar da cama antes das oito, num dia de sábado depois de ter dormido apenas quatro horas não é legal. Mas, poderia ser pior. Graças a Deus que não é. Anotado na agenda mental, agradecer e aproveitar mais, reclamar menos.

Fonte das músicas:




quarta-feira, 14 de maio de 2014

Aí você suspira de vontade do que não pode ter.

Oi, meu nome é Priscila e eu sou ansiosa por vida.


Fonte: https://m.facebook.com/Literatortura?rfid=46


Eu sei. 
São as duas coisas. Tudo junto, misturado e confundido.
Tem dias que a vontade é abraçar o mundo, viver tudo que for possível e quem sabe até o que não for. Em outros, o medo invade e a vontade maior de todas é parar o tempo.
E quando a ansiedade ta a fim de bagunçar de verdade, o medo e a vontade insistem em querer ocupar o mesmo espaço. Coitados, acho que perderam as aulas de física afinal dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo, rsrsrs. Nesses dias a coisa fica feia e só um chazinho de camomila quente pra tentar acalmar os ânimos (ou não :/ ).

domingo, 9 de março de 2014

Da série dicionário

confiança

s. f.
1. Coragem proveniente da convicção no próprio valor.
2. Fé que se deposita em alguém.
3. Esperança firme.
4. Atrevimento.
5. Insolência.
6. Familiaridade.

Ou essa coisa tão delicada e frágil como cristal, que quando quebra não tem mais jeito. É irrecuperável, e por mais que se cole os caquinhos não será mais a mesma coisa, por que as rachaduras permanecerão. Sempre.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Sobre fevereiro, novamente

Só pra registrar que ele chegou QUE NEM UM FURACÃO. Mas, um bom furacão. E eu aqui, firme e forte passando por ele :D

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Fevereiro. Febrero. February

"fevereiro | s. m.

fevereiro
s. m.
Segundo mês do ano civil."

Ou esse mês onde concluirei um cliclo e iniciarei outro. O mês onde eu apresento o meu TCC (Glória a vós Senhor) e começo no emprego novo. O mês onde a rotina, assim como o foco mudam.
Fevereiro seu lindo, vem com calma que estou em processo de mudança, flw, vlw :)

domingo, 26 de janeiro de 2014

Sobre pagar a língua e o aniversário de São Paulo

Nunca foi novidade entre os meus conhecidos que eu não tinha a menor vontade de conhecer São Paulo. Tenho amigos que morrem de vontade de conhecer a terra da garoa. Eu nunca quis.
Sempre tive vontade de conhecer o Brasil. Romper as barreiras da minha queria Bahia e desbravar o país tropical. De Norte a Sul, de Leste a Oeste. Menos São Paulo.
Mas então, um dia a vida, essa linda que eu amo, vem na minha cara e faz PLAFT. Um dia a vida colocou na minha vida uma paulista, que em pouco tempo se tornou uma amiga. E pronto, estava escrito que eu pagaria a minha língua e iria até São Paulo.
E sabem de uma coisa, eu fui. E fui bem feliz. Porque a paulista que conheci me mostrou que eu estava errada e que os paulistas também são legais (obrigado aê, mina =] ). 
Passei alguns dias em São Paulo, poucos dias na verdade. Conheci pessoas ótimas, lugares incríveis e voltei com vontade de quero mais. Já me sinto desejosa de voltar, ainda tem muita coisa pra conhecer.

Então hoje é aniversário de São Paulo e eu quero desejá-la parabéns pelos seus 460 anos.

Quando eu estava na terra da garoa, a minha amiga, uma paulistinha bem engraçadinha, me deu um presentinho. Segundo ela eu amo São Paulo. Não chega a tanto mas, eu já gosto um bocado.



Não amo. Mas, já gosto muito.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A delicadeza de Antonie de Saint-Exupéry

"(...)   - Não - disse o príncipe. - Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É algo quase sempre esquecido - disse a raposa. - Significa "criar laços"...
- Criar laços?
- Exatamente - disse a raposa. - Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu também não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidades um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo... (...)
 (...)  A raposa retomou o seu raciocínio.
- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E isso me incomoda um pouco. Mas, se tu me cativas, minha vida será como cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. Os teus me chamarão para fora da toca, como se fossem música. E depois, olha! Vês lá longe os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo... (...)
(...)  A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa. - Os homens não tem mais tempo de conhecer coisa alguma. Compra tudo já pronto nas lojas. Mas, como não existe lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? - perguntou o pequeno príncipe.
- É preciso ser paciente - respondeu a raposa. - Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor se voltasses à mesma hora - disse a raposa. - Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três já começarei a ser feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas, se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração... É preciso que haja um ritual. (...)"                [O pequeno príncipe, 2009, p. 66-68]



E eu me encontro encantada com "O pequeno príncipe". Tanto que já ouvi falar mas, só agora tive a oportunidade de lê-lo. Essa "delicadeza" de livro que eu recomendo a todos.
O pequeno príncipe é esse tipo de livro que você vai lendo, lendo e quando percebe já terminou, de tão gostosa que é a leitura. Muito lindo mesmo, vale a pena.




"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

Ao que parece 2014 será uma graça de ano

Porque começou piadista e rindo da minha cara. 
Só te digo uma coisa queridinho, quem rir por último rir melhor. 
E tenho dito. #Rum

sábado, 4 de janeiro de 2014

Por que 2014 queria trazer 2011 de volta

E tem coisas que acontecem e são tão desnecessárias. Tipo coisas passadas que voltam apenas para te deixar confusa e para você perceber que cicatrizes não apagam. E por mais que você queira esquecer, ela sempre estará ali para te fazer lembrar.
E mesmo que você releve e perdoe você não é mais a mesma pessoa de alguns anos. O tempo passa, você vive novas experiências, amadurece, "se endurece" para algumas coisas e pessoas. E as coisas não podem mais ser como foram um dia.
E outro dia alguém me disse "eu prefiro esquecer, relevar e desculpar para não correr o risco de ficar sempre sozinha". Mas gente que necessidade é essa de estar sempre com alguém, mesmo que isso custe passar por cima de algumas coisas? Não sei se seria feliz assim. Aliás eu sei, eu não seria feliz assim e 2014 me trouxe a prova disso. Eu não conseguiria ser feliz convivendo com a sombra de uma mágoa. Por mais que eu tentasse.
Acho que então a necessidade de acontecer é essa, mostrar que tem coisas que não podem ser esquecidas e que graças a Deus eu não sofro dessa "necessidade" de estar com alguém a ponto de passar por cima de algumas coisas.
Por que tem coisas que não podem ser desculpadas.